A importância da pesquisa

A cada cinco anos, cerca de 35% da receita de grandes indústrias de alimentos são de produtos lançados durante este período.

O consumidor gosta de novas embalagens e produtos nas prateleiras, segundo o professor Ulysses Reis, coordenador do MBA de varejo da Fundação Getúlio Vargas e diretor da Treiinasse, empresa que trabalha com pesquisa para lojistas de shopping.

Isso faz com que pesquisa de mercado e desenvolvimento de novos produtos sejam fundamentais para qualquer empresa que deseja estar com seus produtos nas mãos dos consumidores.

– De cada 100 produtos lançados no mercado, porém, mais de 80% são um fracasso. Não chegam sequer a pagar o custo  de Pesquisa e Desenvolvimento que nele foi investido – diz Ulysses.

Nesta corrida por um espaço no carrinho dos consumidores, os produtos em-sucedidos, que conseguem dar lucro e passar dos três anos de vida, não chegam a 5%. Isso mostra que é grande o risco de se lançar um novo produto, ao mesmo tempo que necessário, já que 35% dos lucros das grandes empresas de alimento vêm de lançamentos.

Ulysses explica que o terceiro ano é essencial para o produto,  porque é quando ele chega na fase de maturidade. Significa que os consumidores já se  acostumaram com ele, que os próprios varejistas pedem o produto e o mercado consumidor sente a falta quando não o encontra nas prateleiras.

A disputa pela preferência dos consumidores

Nesta guerra pela preferência dos consumidores, a Maizena e o Leite Moça são imbatíveis, seguidos pela Coca-Cola e Pepsi.

Quem não comeu quando criança aquele mingau, ou usou Maizena  para engrossar algum molho? E continua comendo o pudim, pavê ou doce-de-leite feito de Leite Moça? O auge do produto é quando sua marca torna-se o próprio produto: um mingau de maizena é mais saboroso que um mingau de farinha de milho.

– Não se muda o design da Maizena porque os filhos já estão acostumados a ver os pais comprando o produto, e por questão de hábito e confiança vão continuar comprando – explica Ulyses.

Neste mercado rentável e delicado, todo cuidado é pouco para viabilizar as três, ou cinco fases do produto: lançamento, crescimento, fase de maturidade – onde as vendas se estabilizam e o mercado já pede pelo produto. Se houver uma quarta fase, significa que o produto está entrando em declínio, e pode sair do mercado.

Ou então, cria-se uma quinta fase, que é a de relançamento, mudando-se o design do que se quer vender. Até chegar a todo o mercado consumidor, porém, a trajetória é longa.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *